O que pudemos aprender com Leonardo DiCaprio e sua corrida pelo Oscar

A luta nunca é em vão e os sonhos podem se tornar realidade

A Educação pela Arte - POST NOVO!

Toda terça, aqui no blog do letrasdadepressão

10 mitos sobre o Profissional de Letras

Letrólogo? Beletrista? Professor? Tradutor? Revisor?

Muitas obras para baixar gratuitamente

Fazer Letras e não ser viciado em livros? Aham. Confira!

Sexta-feira de TCCzzzzzzz

Eu podia estar festando, eu podia estar saindo...mas estou aqui, estudando

20 de fev de 2018

Não entendo de música clássica, mas gosto de ouvir.



Não entendo de música clássica, mas gosto de ouvir.
Escrevo este post de linhas tortas ao som de Chopin. Não sei o que há de mágico e belo no tintilar das teclas do piano que embalam essa valsa que tanto me emocionam. Ao escutar e escrever sinto que as letras vêm bailando na suave música, surgindo aos poucos e em pequenos intervalos em minha mente que, ao se abraçarem, vão formando palavras. Esse movimento é mágico, é galáctico. Tira-me do tempo-espaço em que me encontro e me transcende. Vejo-me só e sinto um nirvana. E na duração dessa valsa consigo me projetar em um salão em algum momento do período romântico, sentindo a brisa de um final de verão entrar pelas enormes janelas do saguão com cortinas pesadas que dançam. De dentro, ainda, vejo um jardim muito bem cuidado que percebo estar cercada. Não era Brasil, era literatura estrangeira. Era um livro aberto numa página qualquer que pedia essa leitura. Ouço os toques finais e as teclas vão se acalmando. Toco na janela, apoio minhas mãos e debruço-me. Fechei o livro.


                                                                       ***



Aos que se inspiraram e queiram saber um pouco mais sobre música, sirvam-se desse link, da Revista de Antropologia, que fala sobre “Uma outra história das músicas”. Vale a pena ler!

***Educação pela Arte - posts toda semana, às terças-feiras.



Escrito pela Kelli.


6 de fev de 2018

Educação pela Arte - 1






A gente vive uma vida rápida, ligeira. Fulcral, eu diria, gastando o latim que não mais é latim hoje em dia. E por essas vias rápidas, quiçá marginais que passam em nossas vitrines, espelho da alma, por vezes deparamo-nos com o crepúsculo e a melancolia que nos atinge no afã da glória lusco-fusco.

Teria eu perdido mais um dia, em vão, sem ter me encontrado com a Arte?

Teria eu perdido mais um dia, em vão, sem ter visto o Belo – não o cantor, mas o estético, de Schiller?

Antes que a tarde caia e que o sol seja carregado pela carruagem de Hélios, deixo minha contribuição e dica para que seus dias sejam louváveis e sua cota de Educação pela Arte permaneça tão em alta quanto seus logins nas redes sociais.

***Dica: Cadastre-se no site http://portacurtas.org.br  - é gratuito, e antes de assistir um episódio de sua série favorita, assista à um curta-metragem!

***Educação pela Arte - posts toda semana, às terças-feiras.

 “No silêncio pudico de tua mente educa a verdade vitoriosa, exterioriza-a na beleza, para que não apenas o pensamento a
homenageie, mas para que também os sentidos apreendam, amorosos, a sua aparição”.
Friedrich Schiller.  A Educação Estética do Homem.






Escrito pela Kelli, do blog Letras da Depressão =)

21 de abr de 2017

12 de set de 2016

Desculpe o transtorno, preciso falar do Gregório




            Não nos conhecemos assim, fora tudo invenção. O que ele escreve é romântico, é poético, cita vários cantores cult, lugares cult, cidades clichê. Escreve como um poeta de tumblr, descreve imagens como ninguém. Atinge seu maior objetivo, que são compartilhamentos no facebook. Um garoto pinterest, daqueles que a gente gosta de olhar, ler, e ficar dando scroll abaixo, infinitamente, porque ele é fofo, escreve coisas fofas e fala bem da ex dele (num mundo de raiva e de #ForaTemer). Incrível, não é? Não, gente, para.

Desculpe o transtorno, preciso falar do Gregório




            Não nos conhecemos assim, fora tudo invenção. O que ele escreve é romântico, é poético, cita vários cantores cult, lugares cult, cidades clichê. Escreve como um poeta de tumblr, descreve imagens como ninguém. Atinge seu maior objetivo, que são compartilhamentos no facebook. Um garoto pinterest, daqueles que a gente gosta de olhar, ler, e ficar dando scroll abaixo, infinitamente, porque ele é fofo, escreve coisas fofas e fala bem da ex dele (num mundo de raiva e de #ForaTemer). Incrível, não é? Não, gente, para.

            Um Dante, um Vinícius de Moraes, um Poeta, um Pensador, um Crítico. E além do mais, ele é

26 de mai de 2016

DOIS FILMES QUE TODO MUNDO DEVERIA VER PARA ENTENDER SOBRE POLÍTICA





A onda de ódio no Brasil e como se criam "mitos" na internet estão aí, acontecendo o tempo todo ao nosso redor. E isso não é legal.







Vocês se sente seguro na internet?









Há quanto tempo você sente medo?






Navegando pelos filmes encontrados no Netflix, encontrei dois que se complementam, de algum modo, além de serem muito atuais - e isso me assustou, de algum modo. São filmes realmente atuais. Vocês já perceberam que, de alguma forma, a intolerância está muito grande e não podemos viver assim. Temos que começar a entender o que está acontecendo, ou em que momento da história isso já aconteceu. Alguma coisa sempre se repete. Precisamos nos munir de instrução e amor para dissolver todo esse ódio por aí existente. O respeito pelo próximo precisa prevalecer e nós, na condição de professores, licenciados, bacharéis em Letras, HUMANOS E DE CIÊNCIAS HUMANAS precisamos, de algum modo, interromper essa propagação de discurso de ódio. Todos juntos por essa causa de amor e respeito. Todos juntos pela cultura.




Os filmes são:




1) A Onda (Die Welle)
Lançamento: 2009
Diretor: Dennis Gansel
Gênero: Drama
Nacionalidade: Alemã

Um professor da disciplina de Autocracia resolve fazer um experimento numa sala de aula e os alunos mudam completamente, ao ponto do professor perder o controle de seu experimento.

Onde eu assisti: Youtube, Netflix




 






2) Ele está de volta (Er ist wieder da)
Lançamento: 2015
Diretor: David Wnendt
Gênero: Drama
Nacionalidade: Alemã

Hitler está entre nós, em nossa sociedade contemporânea e líquida. Não se lembra como apareceu nos tempos atuais, mas percebe que o mundo dele ainda está presente em nossa sociedade. Viralizado no youtube como um comediante, aos poucos vai doutrinando os jovens e se tornando o novo "mito" da internet. 

Onde eu assisti: Netflix







PS.: Ao discordar de nossa opinião, PFV, deixem comentários que não agridam. =) Beijos de luz!
K.F.




3 de mar de 2016

A sociedade não sabe abrir um livro






Ou será que ela sabe? Mas, se sabe mesmo, por que lemos tão pouco? Qual a dificuldade?
Essas e outras perguntas são muito pertinentes e interessantes para questionar nossos alunos.
Assistam ao vídeo!
Proxima  → Página inicial